Funk é um gênero musical que se originou em comunidades afro-americanas em meados da década de 1960, quando músicos afro-americanos criaram uma nova forma de música rítmica e dançante através da mistura de soul, jazz e rhythm and blues. O funk tira a ênfase da melodia e da harmonia e traz um groove rítmico forte de baixo elétrico e bateria no fundo. Como grande parte da música de inspiração africana, o funk normalmente consiste em um groove complexo com instrumentos rítmicos tocando grooves interligados. Funk usa os mesmos acordes estendidos ricamente coloridos encontrados no bebop, um subgênero do jazz.

Com seu conceito desenvolvido por James Brown na década de 1960, com o desenvolvimento de de um groove de assinatura que enfatiza o downbeat, Brown deu o nome de "The One" (ou seja, o apoio rítmico no primeiro tempo) e foi considerado o padrinho do funk. Outros grupos musicais, incluindo Sly & the Family Stone e Parliament-Funkadelic, logo começaram a adotar e desenvolver as inovações de Brown. Enquanto grande parte da história escrita do funk se concentra nos homens, houve notáveis mulheres de funk, incluindo Chaka Khan, Labelle, Lyn Collins, Brides of Funkenstein, Klymaxx, Mother's Finest e Betty Davis.

O funk pode ser melhor reconhecido por seu ritmo de batidas repetitivas sincopado, pelos vocais de alguns de seus cantores e grupos (como Cameo, ou The Bar-Kays). E ainda pela forte e rítmica seção de metais, pela percussão marcante e ritmo dançante. Nos anos 1970, o funk foi influência para músicos de jazz (como exemplos, as músicas de Miles Davis, Herbie Hancock, George Duke, Eddie Harris, entre outros).

Os músicos negros norte-americanos primeiramente chamavam de funk à música com um ritmo mais suave. Esta forma inicial de música estabeleceu o padrão para músicos posteriores: uma música com um ritmo mais lento, sexy, solto, orientado para frases musicais repetidas (riffs) e, principalmente, dançante. Funk era um adjetivo típico da língua inglesa para descrever estas qualidades. Nas jam sessions, os músicos costumavam encorajar outros a "apimentar" mais as músicas, dizendo: Now, put some stank (stink/funk) on it! (algo como "coloque mais funk nisso!").

Os derivados de Funk incluem o funk psicodélico de Sly Stone e Parliament-Funkadelic; o avant-funk de grupos como Talking Heads e Pop Group; boogie uma forma de dance music pós-disco; electro, um híbrido de música eletrônica e funk; funk metal (por exemplo, Living Colour, Faith No More); G-funk, uma mistura de gangsta rap e funk; Timba, uma forma de música funk cubana; e funk jam (por exemplo, Phish). Os samples de funk e os breakbeats foram utilizados extensivamente em gêneros, incluindo hip hop, e várias formas de electronic dance music, como house music, old-school rave, Breakbeat e drum and bass. É também a principal influência do go-go, um subgênero associado ao funk.

    Funk
    • 115 bpm
    • Key: Abm
    • Belém, Brazil
    Full Link
    Short Link (Twitter)