Você já ouviram Azymuth? Essa pergunta eu faço a muitos amigos. Conhecer Azymuth é uma obrigação nacional. E diz muito sobre quem conhece o trabalhos de 3 sensacionais músicos que desde 1973 vem surpreendendo o mundo com tanta sonoridade original.

O Azymuth surgiu em 1973 quando José Roberto Bertrami, Alex Malheiros e Ivan Conti, juntamente com Marcos Valle gravaram pela Phonogram disco instrumental empresa aérea Cruzeiro do Sul.
E deu muito certo. os três continuaram juntos e em 1977 lançam o sensacional LP Águia Nâo Come Mosca. Naquele momento a musica instrumental brasileira deixou de ser a mesma. A mudança estava feita.

O Azymuth foi a primeira vez que uma banda brasileira tocou em Montreaux e isso em sua primeira edição em 1977. E aí a carreira internacional estoura e eles acabam indo pros Estados Unidos. Lá foram contratados pela Milestone Records, desde então são um dos nomes fortes na história do Jazz Fusion.
O grupo orginal se manteve o mesmo quase todo tempo. Algumas saidas e retornos dos membros originais aconteceram. Mas o baque veio mesmo em 2011 com a passagem de José Roberto Bertrami. Mas em 2016 eles encontram um substituto à altura e retornam fortes com a chegada de Kiko Continentino.

Em meados dos anos 90 o AcidJazz explode na Europa e os DJs e produtores da cena descobrem o trabalho do Azymuth. Eles vão para a gravadora FarOut Records e ganham de vez a Europa. Em 2008 recebem prêmio pelo produção do LP Butterfly, considerado o melhor álbum lançado por eles. Eu particularmente prefiro Águia não come mosca, lá de 1973.

Abraços e escutem boa música

Translate this for me please

    Jazz, Nujazz
    • Type: Podcast
    • 125 bpm
    • Key: Am
    • Belo Horizonte, MG, Brasil
    Full Link
    Short Link (Twitter)